Vale dos Vinhedos (RS) – roteiro completo para sua viagem!

Vale dos Vinhedos: roteiro e dicas pra conhecer a região da Serra Gaúcha

Última atualização em

Conhecer o Vale dos Vinhedos (RS) com esse roteiro completinho vai ser uma viagem fantástica que você fará pela Serra Gaúcha! Te prometo!

O Vale dos Vinhedos RS é um destino recheado de atividades que compões o roteiro de viagem. Ou melhor dizendo: “os roteiros”. Há tanto o que fazer no Vale dos Vinhedos entre as cidades de Garibaldi e Bento Gonçalves que dá pra planejar diversos roteiros.

Aqui eu vou falar tudo que você precisa saber para conhecer essa região tão enconadora do Brasil. Como chegar até o Vale dos Vinhedos, onde se hospedar, quais cidades compõe as rotas dos vinhos, como explora-las, quais vinícolas conhecer, que experiências escolher, dicas de restaurantes, passeios e muito mais!

Também vou listar algumas opções do roteiros exclusivos para a região do Vale dos Vinhedos ou incluindo Gramado e Canela e tours pela região. E por fim, você também encontra no texto informações sobre os vinhos e enoturismo.

Enfim, aqui você encontrará tudo o que precisa saber para planejar sua viagem ao Vale dos Vinhedos no Rio Grande do Sul. Caso prefira, pode navegar diretamente para cada tópico usando o índice abaixo.

Leia mais: Maria Fumaça em Bento Gonçalves – Tour Uva e Vinho

Booking.com

Informações gerais sobre o Vale dos Vinhedos RS

vale dos vinhedos rs roteiro
Degustação na vinícola Miolo – foto Lu

O vale dos vinhedos no Sul é a principal região produtora de vinhos e espumantes no Brasil. Responsável por cerca de 90% das garrafas nacionais sendo que algumas das produtoras possuem rótulos ganhadores de prêmios mundo afora.

Não podemos dizer que é a única região produtora de vinhos de nosso país, no entanto é a que tem melhores condições climáticas e de solo para produzir vinhos e espumantes de qualidade. Não é a toa que você encontrará importantes nomes nela, um belo exemplo é a cave Chandon.

Localizado na Serra Gaúcha, o vale dos vinhedos contempla principalmente as cidades de Garibaldi e Bento Gonçalves e conta com uma produção variada de uvas. Abaixo deixo uma listinha de quais uvas nascem em solo gaúcho:

  • Chardonnay
  • Riesling Itálico
  • Pinot Blanc
  • Sauvignon Blanc
  • Riesling Renana
  • Trebiano
  • Moscato Branco
  • Gamay
  • Tannat
  • Cabernet Sauvignon
  • Cabernet Franc
  • Merlot
  • Pinot Noir
  • Pinotage

Atualmente a região têm se aventurado na plantação de uvas Marselan que são típicas da França. Um cruzamento das uvas Cabernet Saugignon e Granache, degustamos alguns vinhos de guarda feitos com Marselan na vinícola Dom Eliziário e adoramos!

vale dos vinhedos rs roteiro vinícolas
Vinhos de guarda da Dom Eliziário – foto Lu

Bento Gonçalves e Garibaldi são muito próximas, com cerca de 10 minutos de carro você vai de uma a outra. Há outras cidades ao redor que complementam o enoturismo na Serra Gaúcha: Monte Belo do Sul, Pinto Bandeira, Flores da Cunha até chegar em Caxias do Sul.

O Vale dos Vinhedos também está a cerca de 120 quilômetros de Gramado e Canela. Por isso muitas pessoas planejam uma viagem para conhecer Gramado e incluem apenas um dia de bate e volta para o Vale dos Vinhedos.

Toda a região é muito turística e requer atenção especial, não dá pra conhecer bem o vale dos vinhedos na serra gaúcha em apenas um dia. Dá sim pra matar a vontade de estar lá, mas pra desbravar eu recomendo pelo menos 2 dias completos (vou falar mais sobre esse tema adiante).

O que fazer em Gramado e Canela – aqui você encontra todas as dicas que escrevi sobre as duas cidades. Se pretende inclui-las em seu roteiro Vale dos Vinhedos, recomendo a leitura.

Mais algumas informações importantes; a região foi berço de imigrantes italianos e alemães, isso significa que a gastronomia por lá tem um grande peso e é deliciosa. Se prepare para comer muito bem (e muito).

Existem 5 rotas turísticas que podem ser percorridas na Serra Gaúcha, explorar o Vale dos Vinhedos é uma delas (a mais gostosa ao meu ver rs). São elas:

  • Caminhos de Pedra
  • Vale dos Vinhedos
  • Vale do Rio das Antas
  • Rural Encantos de Eulália
  • Cantinas Históricas

É uma parte mais fresca do Brasil, então dê uma olhada na previsão meteorológica antes de embarcar, mesmo que esteja fazendo um sol de rachar mamona na sua terra. É um destino tranquilo e muito recomendado para pessoas que buscam tranquilidade e amantes do Enoturismo.

vale dos vinhedos rs roteiro
Parreiras da vinícola Casa Valduga – foto Lu

Como chegar no vale dos Vinhedos

Para chegar até o Vale dos Vinhedos na Serra Gaúcha você precisa voar para Porto Alegre e de lá pegar estrada sentido ao vale, são cerca de 120kms pela BR 116 até Bento Gonçalves, o vale dos vinhedos fica na RS 444.

Você pode pegar um ônibus com a Itapemirim ou Penha. Mas o ideal mesmo é alugar um carro e aproveitar a paisagem ao longo do trajeto. Melhor maneira de explorar o vale dos vinhedos é de carro contando que você tenha sempre um motorista da rodada.

Você também pode voar para Caxias do Sul, que são cerca de 45kms até Bento ou Garibaldi, o problema é que não há muitas opções de voos pra lá, por isso POA acaba sendo a melhor opção.

Caso seu voo chegue muito tarde em Porto Alegre, uma dica prática e econômica é passar uma noite no Ibis Porto Alegre Aeroporto e seguir viagem no dia seguinte.

Eu explico melhor em outro artigo como funciona o hotel mas, basicamente tem van de/para o aeroporto, café da manhã ótimo e fica pertinho das locadoras de carro.

Hotel Ibis Aeroporto Porto Alegre: review completa

Quando ir para o Vale dos Vinhedos

Sempre! Em qualquer época do ano você terá bons momentos no Vale dos Vinhedos. Lembrando que estamos falando do Sul do Brasil e de uma região serrana, ou seja, o inverno é mais intenso e gelado por lá.

  • Prós de visita-la no inverno: clima românico, degustações de vinhos combinam demais com frio e o clima serrano também.
  • Prós de visita-la no verão: clima descontraído, festas especiais e piqueniques em vinícolas (vindima é a melhor delas) e poder aproveitar hotéis com piscinas como o SPA do Vinho e o

Há duas datas especiais que recomendo para amantes de vinho: época da vindima (pisa das uvas que acontece de meados de janeiro até meados de março) e dia do vinho brasileiro (primeiro domingo de junho). Ambas são experiências incríveis a serem vividas na Serra Gaúcha, mais adiante falarei em detalhes da Vindima.

Vale dos Vinhedos: roteiro e dicas pra conhecer a região da Serra Gaúcha
Mesmo nublado o Vale dos Vinhedos é lindo e aconchegante! Foto Lu

Onde se hospedar no Vale dos Vinhedos

Você pode usar Bento Gonçalves ou Garibaldi como base para sua hospedagem para explorar o vale dos vinhedos e sua rota dos vinhedos.

Bento é mais movimentada, com comércio intenso e muitas opções de restaurantes. Garibaldi já é mais tranquila, clima de cidade do interior. Se você alugar um carro não faz muita diferença a escolha da cidade pois é tudo tão perto que você sente como se fossem uma única cidade.

O que fizemos foi escolher um hotel super aconchegante e romântico em Garibaldi, por que a região pede um lugar todo especial. Nos hospedamos na Pousada Castello Benvenutti que está localizada aos pés da rota dos vinhos, a 5 minutos de Bento Gonçalves.

Foi perfeito!  O hotel é um castelo lindo e muito acolhedor, tem a localização ideal pra quem explora o roteiro pelo Vale dos Vinhedos e preço adequado para a alta qualidade e o clima que oferece.

Além de ser um hotel eclético que, mesmo romântico é super adequado para bebês e crianças, colocaram berço e banheira no quarto e os funcionários sempre nos perguntando se estava tudo ok com o Edu.

Um bônus do hotel é o restaurante Dona Carolina, simplesmente divino. Provamos um prato de massa fresca ao molho de queijo com manjericão que nos enlouqueceu. A decoração do restaurante e de todo o hotel também é muito acolhedora, nos remete a cenários de filmes medievais.

Leia mais: Onde ficar no Vale dos Vinhedos – Pousada Castello Benvenutti

vale dos vinhedos roteiro
Fachada da Pousada Castello Benvenutti – foto Lu
vale dos vinhedos roteiro
Nosso quarto com bercinho pro Edu – foto Lu

Uma opção super luxuosa é o Spa do Vinho em Bento Gonçalves, um hotel de 5 estrelas bem de frente para as parreiras da vinícola Miolo. O lugar é excepcional, muito bem localizado e o mais caro da região.

A opção luxuosa de Garibaldi é o Hotel Casa Curta, localizado no coração da cidade, piscina, hidromassagem, decoração moderna e muito aconchegante. Os preços das tarifas são mais acessíveis do que o SPA do Vinho.

Se você estiver viajando com crianças recomendo o Villa Michelon. O hotel tem uma piscina ótima, um campo com árvores de laranja e muitas outras atrações.

Pra fechar, se você busca uma hospedagem de experiência, recomendo a Pousada Casa Valduga que fica dentro do complexo onde estão as caves e parte do processo da vinícola. São pousadas mais antigas no entanto muito aconchegantes.

hotel spa do vinho miolo
Hotel Spa do Vinho visto de dentro da vinícola Miolo – foto Lu

O que fazer no Vale dos Vinhedos roteiro e dicas

A resposta para essa pergunta pode parecer óbvia: “o que fazer no vale dos vinhedos na Serra Gaúcha? Visitar vinícolas e provar bons vinhos”. Certo? Eu diria que sim e não! Rs.

A região está toda voltada pra cultura do vinho, visitação as vinícolas e degustações, exceto por Gramado e Canela que conta outros atrativos e a maioria não relacionado ao vinho.

Mas também há outras atividades, algumas bem interessantes para quem viaja com crianças e família. Vou falar um pouco de como organizar um roteiro de viagem pra lá mas em resumo, pensando em um vale dos vinhedos roteiro de 3 a 7 dias dias, eu diria:

  • Dia 1: vinícolas de espumante em Garibaldi
  • Dia 2: vinícolas de vinhos em Bento Gonçalves
  • Dia 3: atrações da cidade:
    • Epopeia Italiana
    • Memorial do Imigrante,
    • Casa de Arte
    • Igreja Matriz de Cristo Rei
    • Entrada da cidade – Pipa Pórtico
    • Mirante Cascata dos Amores
  • Dia 4: passeio de Maria Fumaça
  • Dia 5: Caminho das Pedras
  • Dia 6: Vale do Rio das Antas
  • Dia 7: Parque de Aventuras Gasper – Encantos da Eulália

 Quantos dias de viagem são necessários?

Ficamos 3 dias e meio considerando um deles praticamente para deslocamentos. Ou seja; tivemos 2 dias completos de passeios para fazer o Vale dos Vinhedos. Foram suficientes para conhecer a região com tranquilidade, dedicando um dia para Bento Gonçalves e um dia para Garibaldi.

Ou seja, se observar as sugestões de roteiro que dou acima, fizemos apenas os dois primeiros dias. Mas isso por que já visitamos a região em outros momentos e pudemos aproveitar dos demais atrativos, essa viagem foi focada em conhecer as vinícolas e explorar o roteiro do vinho e do espumante.

Lu, mas quantos dias são necessários para realizar o roteiro pelo vale dos vinhedos então? Apenas para conhecer o roteiro do vinho e do espumante 2 + 1 para o passeio de Maria Fumaça que considero parte da região dos vinhedos + 1 para city tour.

Vale dos Vinhedos o que fazer em cada dia: só as vinícolas 2 dias, vinícolas + atrações do vale 4 dias, roteiro completo pela região 7 dias (mencionado acima), com Gramado e Canela mínimo 10 dias.

O que acho super pertinente para uma escapadinha romântica ou ideal pra quem quer uma viagem tranquila, pra curtir e descansar ao mesmo tempo.

Colocamos duas vinícolas por dia pra irmos devagar, afinal de contas o Edu tinha apenas 4 meses nesta viagem. O ideal para aproveitar bem a região sem cansar demais é colocar de 4 a 5 vinícolas por dia de viagem destinado a elas.

Ou seja, se você pretende visitar 15 vinícolas os 2 dias mencionados acima não vão dar, pode colocar mais um dia extra só pra isso.

Pra facilitar (e MUITO) o entendimento dos roteiros e escolher quais vinícolas visitar e em que sequência, abra esse mapinha aqui. Ele mostra todas as vinícolas das rotas de vinho e de espumante, restaurantes e hotéis do caminho.

E veja como ficariam esses dois dias dedicados as vinícolas de espumante e vinhos:

Dia 1 – Vinícolas de espumantes em Garibaldi

Garibaldi é a terra dos espumantes, uma cidade bem pequena e aconchegante. Neste dia recomendo tomar aquele bom café da manhã no hotel (certamente você ficará hospedado em algum local com café da manhã excelente, típico de toda Serra Gaúcha) e seguir logo cedo para a vinícola Casa Perini.

Ela está um pouco fora da rota dos espumantes mas é a produtora do sexto melhor espumante do mundo, então vá logo cedo pra lá e na metade da manhã você já estará de volta em Garibaldi para seguir o passeio.

Outras três vinícolas produtoras de espumante que eu recomendo conhecer são: Peterlongo, Chandon e Cooperativa Garibaldi.

Todas bem próximas e centralizadas em Garibaldi. Em frente a Cooperativa Garibaldi tem uma loja de trufas divina, não deixe de provar a sabor champanhe, é de comer rezando.

Também incluiria um almoço na Casa di Paolo e um jantar no restaurante Dona Carolina da Pousada Castello Benvenutti neste dia. Bom, o roteiro ficaria assim:

Pode parecer demais almoçar e jantar na mesma área (os dois ficam lado a lado). Mas gente, o restaurante Dona Carolina é digno de se voltar mil vezes, já a Casa di Paolo tem uma belíssima vista para a natureza e interessante ser apreciada de dia.

Se o roteiro ficar muito cansativo e quiser remover alguma atividade recomendo remover a visita a Cooperativa Garibaldi mas sem deixar de passar pra comprar as trufas divinas da Devorata.

Eu tive que remover forçadamente a Chandon pois fomos em um feriado e a casa não abre em datas especiais (fiquem atento a esse detalhe).

A Peterlongo tem uma casa linda e um história incrível por trás, além de um jardim muito belo onde acontece a degustação, com direito a sabragem (abertura da garrafa com faca). Uma outra sugestão de passeio é a cervejaria Leopoldina que fica bem em frente a Chandon.

Como é a visita a vinícola Peterlongo em Garibaldi

vale dos vinhedos roteiro
Vinícola Peterlongo – foto Lu
vale dos vinhedos roteiro
Sabragem nos jardins da Peterlongo – foto Lu
vale dos vinhedos roteiro
Degustação de espumantes – foto Lu
vale dos vinhedos roteiro
Espumante Rosé – foto Lu
vale dos vinhedos roteiro
Parreiras e um clima delicioso – foto Lu
vale dos vinhedos roteiro
Perfeita não é mesmo?